quinta-feira, 21 de maio de 2009

O petróleo tem que ser nosso



MUITO ALÉM DE 2010
Mair Pena Neto
Direto da Redação

A disputa pelo petróleo já levou a várias guerras no mundo, golpes de Estado, criação de governos títeres, assassinatos e outras operações escusas. Tudo isso já foi retratado em livros e filmes, como o recente Syriana, com George Clooney no papel de um agente da CIA. Por isso, a criação da CPI da Petrobras não pode ser vista apenas pelo viés eleitoral brasileiro, se bem que ele importa e muito.

Mas isso até a grande mídia reconhece. O ataque organizado à maior empresa brasileira, que se mantém importante e eficiente mesmo em mãos do Estado, deve ser entendido dentro de uma perspectiva mais ampla de ganância pelo petróleo brasileiro no momento em que foi anunciada ao mundo a descoberta de uma das maiores reservas de todos os tempos, na área do pré-sal.

Seria ingenuidade achar que as grandes corporações petrolíferas e seus representantes não estariam de olho nesta riqueza brasileira, capaz de transformar o país em um dos maiores produtores mundiais. E para botar a mão nela é preciso agir o quanto antes e com a maior eficiência.

O tempo dos golpes de Estado financiados pelas petroleiras ficou para trás e as conspirações precisam ser mais ardilosas. O atual governo interrompeu um processo de privatizações, embora não tenha sido tão eficaz em relação aos leilões de novas áreas de petróleo, mas sinalizou firme quanto ao pré-sal, buscando assegurar a primazia nacional, seja por meio da Petrobras ou de uma empresa a ser criada exclusivamente para administrar estas novas reservas.

Tal movimentação é vista com preocupação pelas partes interessadas em flexibilizar, para usar palavra tão ao gosto dos neoliberais, esse controle estatal sobre as reservas brasileiras. O empenho dos parlamentares do PSDB pela CPI faz todo o sentido, já que foi o partido que tentou privatizar a Petrobras no governo de Fernando Henrique Cardoso, inclusive alterando o seu nome para Petrobrax para torná-la mais internacional e menos brasileira.

Seguindo essa linha de raciocínio, enfraquecer e desacreditar a Petrobras nesse momento soa como música aos privatistas. Se a empresa é corrupta e mal administrada, como seus acusadores parecem querer provar, está aberto o caminho para tachar o Estado de incompetente e invocar a competência administrativa da iniciativa privada.

Os tentáculos dos interesses maiores não estão apenas no parlamento, onde não deve ser muito difícil nem tão caro arregimentar aliados, mas espalham-se por vários setores da sociedade, principalmente na mídia, estratégica na batalha da informação.

A guerra está deflagrada, mas os golpes começam a ser identificados pelos olhos atentos. Neste sentido, recomendo a leitura do artigo “Petrobrax para iniciantes”, de Leandro Fortes, no blog “Brasília, eu vi”, sobre matéria da Folha de S. Paulo. Mais um exemplo do papel fundamental da internet como contraponto ao que está na grande imprensa.

5 comentários:

jose Carlos disse...

Cara 5 mil pessoas na manifestação de hoje no Rio, abraçando a Petrobras e dizendo em alto e bom som o PETRÓLEO É NOSSO.

Abraços José Carlos

Anônimo disse...

É Zé Carlos, e a maldita imprensalao nao deu 1 pio, ou melhor, se falou e qdo falou, reeditou o DIRETAS JÁ ... fingiu q nao valeu.

Inté,
Murilo

José Carlos disse...

Atos em Recife e em Natal



Nesta segunda-feira, 25, as centrais sindicais, a FUP, o Sindipetro-PE/PB, MST e vários movimentos sociais participam de audiência pública na Câmara Municipal de Recife para debater com os parlamentares o que está por trás da CPI da Petrobrás e a importância de uma legislação que garanta o controle estatal e social do petróleo. Os movimentos sociais aproveitarão o debate para dar visibilidade à campanha O petróleo tem que ser nosso! e divulgar o abaixo assinado por uma nova lei.



Os petroleiros e movimentos sociais do Rio Grande do Norte realizam na terça-feira, 26, pela manhã, um ato público na sede da Petrobrás, em Natal, em defesa da estatal e por mudanças na Lei do Petróleo. O Sindipetro-RN, MST, CUT, CTB, FUP, entre outras entidades, repetirão em Natal o abraço público à Petrobrás, reunindo no ato estudantes, trabalhadores, militantes sociais e a população em geral, como ocorreu no Rio de Janeiro, no último dia 21.

PeterCor disse...

Caro Zé Carlos,
obrigado por postar o filme.
Aqui está o novo fragmento do filme, este falando sobre a Petrobras.

Neste novo fragmento estão algumas imagens da manifestação que aconteceu no Rio de Janeiro, na última quinta-feira, que contou com mais de 5 mil manifestantes.
Este filme faz parte da campanha do petróleo que conta com dezenas de entidades. Um filme em defesa do Brasil.

Estou submerso, abaixo da camada de sal, com a edição deste filme, pois são mais de 30 horas de material e 35 entrevistados. Aos poucos irei soltando fragmentos e em breve o filme estará nas ruas. Conto com a mídia alternativa, de blogueiros e jornalistas independentes como você para colocar este documentário na rede, já que se depender dos grandes meios de comunicação ficará restrito a poucos.
Enfim o novo fragmento do filme, em defesa do pré-sal.

O link:
http://www.youtube.com/watch?v=bZ7Y-ZOnuAs

Desde já, muito obrigado.
Saudações brasileiras,
Peter Cordenonsi

Vendedor de Bananas disse...

Peter Cordenonsi,

Antes de qualquer coisa parabéns pelo filme que é realmente emocionante.
Já postei" a atualização que você enviou.

Saudações Brasleiras
OVB