sábado, 2 de maio de 2009

Virada cultural não terá hip-hop no centro de São Paulo

Em 2007, a polícia militar dispersou no cacetete, na bala de borracha e na bomba de efeito moral centenas de milhares * de pessoas que acompanhavam o show dos Racionais Mc's. Nem mesmo os que apenas circulavam pelos arredores da praça da Sé, escaparam do corredor polonês imposto pelo braço armado do governo estadual.
Famílias inteiras, com crianças de colo e até mesmo idosos; ninguém escapou do risco de ser pisoteado - nem mesmo este vendedor de bananas.
Nas edições da virada cultural que seguiram à essa recepção muito pouco calorosa de 2007, a periferia esteve impedida de ver-se representada no centro da cidade que sustenta com o seu próprio trabalho.

Em 2009, na catedral da Sé um grupo teatral francês ocupará o mais importante e simbólico palco de São Paulo. Durante oito horas seguidas, atores "soprarão delicadas poesias" nos ouvidos dos que ali estiverem.

Nada contra o grupo teatral francês, mas penso que a periferia e a população de São Paulo merecem uma Virada Cultural mais inclusiva, sem bombas de efeito moral e segregação espacial.
O hip-hop faz parte da cultura brasileira e merece respeito. Esse vídeo do Racionais Mc´s já recebeu mais de 7 milhões de cliques, quase 7 vezes mais do que o vídeo mais acessado de Caetano Veloso, "Sozinho".

*após alerta de leitor, o vendedor de bananas corrigiu uma informação equivocada; um milhão de pessoas na praça da Sé seria matematicamente impossível, já que a mesma possui 47.000 m2. Ainda não encontrei o número aproximado de pessoas presentes ao show.

2 comentários:

Safadinha disse...

"Cerca de um milhão de pessoas"??

Aaaah, vá...

Vendedor de Bananas disse...

eu tava lá e contei uma por uma!
rs.. da folha de são paulo:

"A organização não quis estimar um número de presentes na região da praça da Sé, mas o show era visto até de ruas paralelas. A Virada Cultural divulgou que cerca de 3 milhões de pessoas participaram do evento inteiro nesta madrugada, ocupando todo o centro de São Paulo."

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u135031.shtml